7.03.2009

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO


A qualidade de vida no trabalho não é mais um diferencial, mas sim uma exigência de mercado, pois as empresas que não estiver com pessoas em primeiro plano, dificilmente vão se torna competitiva no mercado
.

Enquanto as organizações preocupam-se em ser mais competitivas, produzindo mais e melhor a custos menores, os empregados buscam no interior das empresas onde trabalham a compensação do estresse causado pela busca frenética de resultados.

Segundo Limongi França (2007), o atual contexto social e econômico caracteriza-se por demandar de quando parte das empresas terão uma crescente atenção com seus ativos intangíveis.

A qualidade de vida no trabalho não decorre apenas do salário acima do mercado, e sim resulta em tratamento humano, da gentileza e da leveza nas relações. Não se pode esperar qualidade no desempenho de pessoas que carecem de qualidade em seu próprio trabalho.

A qualidade de vida no trabalho se apresenta como uma preocupação do homem deu-se inicio da sua existência, com objetivo de facilitar ou trazer satisfação e bem-estar ao trabalhador na execução de suas tarefas. "O conceito de qualidade de vida engloba vários aspectos como físicos, ambientais e psicológicos do local de trabalho"(CHIAVENATO, 2004).

No Brasil, a preocupação com a qualidade de vida no trabalho, surgiu mas tardiamente, em função da preocupação com a competitividade das empresas num contexto de maior abertura para importação de produtos estrangeiros e na esteira dos programas de qualidade total.

Muitos são os conceitos de QVT entendidos por autores da Administração, mas pode-se entender qualidade de vida como satisfação e bem-estar de cada um deles.

A qualidade de vida tem sido utilizada como indicador das experiências humanas no local de trabalho e do grau de satisfação das pessoas que desempenham o trabalho. O conceito de qualidade de vida implica um profundo respeito pelas pessoas. Para alcançar níveis elevados de qualidade e produtividade, as organizações precisam de pessoas motivadas, que participam ativamente nos trabalhos que executam e que sejam adequadamente recompensadas pelas suas contribuições. A competitividade organizacional - e obviamente, a qualidade e produtividade - passam obrigatoriamente pela qualidade de vida no trabalho.

Referências Bibliográficas

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas - O Novo Papel dos Recursos Humanos nas Organizações. São Paulo: Editora Campus, 2004.

DE AZEVEDO, Márcia Maria Nascimento; DE AZEVEDO, Stephen Nascimento. QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO DOS EMPREGADOS DA AZEVEDO METAIS. Monografia de Administração, 2007.

FRANÇA, Ana Cristina Limongi; ARELLANO, Eliete Bernal. As pessoas na organização - Qualidade de vida no trabalho. 7ª edição. São Paulo: Editora Gente, 2007.

MARRAS, Jean Pierre. ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - DO OPERACIONAL AO ESTRATÉGICO. 11ª edição. Pág. 31, São Paulo: Editora Futura, 2005.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado pelo comentário, espero que volte ao blog para saber de mas informações.

Postar um comentário